O Mundo dos Titãs

107

Autor: Edson Fernandes da Costa

Os dias foram se passando. Mesmo com a volta de Aiya não fui importunado e aparentemente Hina também não, o que era bem incomum. A única coisa que tinha chateado Hina era que tinha sido retirada do grupo dela por me ter como namorado, ela confirmou que isso não pareceu uma retaliação por parte de Aiya em relação a nós dois.

Sobre aquele pensamento ou instinto assassino que as vezes surgia em mim, eu estava bem, não havia sentido ele a vários dias, também não havia sido importunado por nada que me causasse tanto ódio. Eu estava aliviado daquilo ter sumido ou dado um tempo, não era como se aquele desejo não fizesse parte de mim, o que ele fazia na verdade era ampliar a minha raiva a um nível muito mais elevado.

Seguindo a dica de Arzachell eu ia duas vezes por semana treinar com Lilithi. Ela me ensinava a parar de depender dos ensinamentos automáticos que recebia do armamento, ela dizia que quando você é titã a muito tempo, não só aprende um pouco sobre como os outros agem contra você, como também aprende a ser diferente, inesperado esses fatores podem causar uma grande diferença numa batalha mesmo se seu oponente for mais forte. Lilithi não pegava pesado no treino, como Arzachell ela apenas me derrubada algumas vezes. Ela usava de saltos, deslizes e vários movimentos como defender de costas, girar batendo e coisas inusitadas enquanto me treinava. Esse treinamento, começava a refleti contra Arzachell que começou a tomar alguns golpes mesmo aumentando sua força, além disso, minha defesa também tinha melhorado bastante, eu sentia que em muito pouco tempo eu já seria capaz de enfrentar o terrível Deus das Trevas.

Haviam se passado um total de vinte dias desde a volta de Aiya. Não participei dos últimos chamados que tiveram na cidade, eu precisava treinar freneticamente e alcançar mais rapidamente o meu nível. Então no final dos vinte dias tive algumas surpresas inesperadas.

Primeiro, o retorno de Yago com um grande grupo de titãs e pareciam serem bem fortes, acompanhados de sua general Elza, agora, reparando nela com calma, ela tinha o mesmo tom de pele de Hina e de Arus, bem branca, seus cabelos longos e cinzas se destacavam pelo diferencial de sua cor assim como os de Arus, quando sorriu pra mim suas covinhas surgiram timidamente, seu rosto era oval e ela usava um par de brincos de prata, uma pequena corrente dourada com duas bolinhas metálicas em cada orelha, nada exagerado, uma coisa bem sutil. Ao lado de Yago ela parecia mais alta que ele o que com certeza chamava bastante atenção e tinha seios fartos de dar água na boca.

― Estamos aqui por você, quando estiver pronto, também estaremos, ficaremos por aqui a partir de agora até você ficar e comandar o ataque― disse Yago me olhando firme nos olhos e apertou a minha mão. Ele ainda não sabia das novidades mais logo saberia, sobre eu e Hina, ou talvez soubesse, ele não comentou.

No mesmo dia que Yago chegou, um pouco mais tarde chegaram três novos titãs. Eu estava em meu quarto, tinha acabado de trocar de roupas quando fui chamado na porta pela voz do Arus. Saindo encontrei ele e as três novas figuras.

― Olá,Kyoran, desculpe incomodar você,eu preciso te colocar a par das boas novas ― disse Arus com uma cordialidade comum, mantendo um sorriso frio, algo padrão dele. Talvez porque agora eu o via diferente de antes.

― Não incomodou ― disse porque ele parecia esperar uma resposta.

― Devo apresentar os três novos membros que farão parte do castelo a partir de agora ― disse ele se virando um cara branco de aparência bem adulta e sério. ― Este é Cesar, será o titã encarregado de proteger a princesa Aiya particularmente ― explicou ele. O homem de expressão firme fez gesto de um sim para mim como um comprimento e eu automaticamente fiz um sim de volta da mesma forma. Ele era alto, musculatura mediana, vestia roupas brancas parecidas com os iluminados ele e os outros dois, todos trajavam um tipo de calça com um tecido branco bem parecido com um jeans, porém mais leve, suas camisas de botões tinham mangas longas excerto a da garota que usava uma blusa branca sem mangas, ao contrário, ela tinha. Na cabeça Cesar usava uma boina amarela o que diferenciava a cor padrão, por baixo e descendo sutilmente para trás, eu podia ver os fios ondulados de um longo cabelo marrom, para um homem sério como ele aquilo era meio estranho. Todos os três sem exceção usavam um tipo de anel de ouro com uma pequena pedra de rubi vermelho na ponta no dedo indicador da mão direita.

― estes dois são os irmãos Roni ― continuou me apresentado o rapaz de pele branca avermelhada de aparência mais jovem, ele tinha cabelos curtos, castanhos claros, lisos e penteados de lado, no rosto usava um óculos escuro acompanhado de um sorriso amigável que não aparentava qualquer intenção. ― E ai? ― perguntou ele com um tom alegre, quando Arus fez uma breve pausa. ― E esta é Rania ― disse ele estendendo a mão aberta na direção deles enquanto me apresentava. A garota era de fato parecida com o rapaz, ambos magros, o mesmo tom de pele e cabelo, os cabelos da garota apesar de simples eram elegantes, lisos e um pouco longos descendo o pescoço, tinha algumas mechas juntas a frente do rosto dela, presa com alguns pequenos laços de seda rosa que a deixavam com um toque mais meigo, embora seus seios não fossem lá grande coisa tinha uma formação bem básica, mesmo ela sendo magra, com um certo toque encaixaria na mão tranquilamente. ― espera? Por que to pensando nisso? ― me perguntei, e larguei essa ideia o mais rápido que pude, afinal eu tinha Lilithi. Outra coisa que me chamou atenção na Rania eram seus olhos amendoados, sua cor azul clara era como uma forte luz em seu rosto combinado a uma harmonia perfeita de beleza quase impecável.

― Olá, é um enorme prazer conhecê-lo ― disse Rania,e deu um passo para frente com um lindo sorriso, estendeu o rosto e beijou suavemente o meu, depois se voltou para trás um pouco corada, devo admitir que achei ela bem fofa também, além de esbanjar um ar inocente ela parecia bem gentil, seria o tipo de garota que me atrairia facilmente se eu já não tivesse Lilithi.

― Roni e Rania, estarão encarregados em zelar por sua segurança de agora em diante, seja lá para onde for eles irão acompanhá-lo até dentro dos limites possíveis. Tanto os dois como Cesar são titãs de nível alto e preparados para enfrentar até mesmo os domínios, então você poderá ficar mais tranquilo, quando o momento chegar, eles irão ajudá-lo― explicou Arus.

― O que significa isso? Eu achei que vocês, os Iluminados, é quem estavam me protegendo ― perguntei. Na verdade eu estava um pouco inconformado, ser ainda mais vigiado ia dificultar mais a minha vida.

― Nós fomos requisitados a um retorno para o castelo do rei, ficaremos fora por alguns dias e você precisará se acostumar rápido com esses dois. Saiba Kyoran, que as ordens deles valem tanto como as minhas, sua segurança estará sempre em primeiro lugar ― explicou Arus. Quando ele disse isso eu senti imediatamente um grande alívio, desde a chegada deles eu vinha me sentindo um pouco sufocado. Olhando os dois, Roni e Rania pareciam dois titãs muito mais razoáveis e eu me sentiria muito mais a vontade sendo seguido por aqueles dois.

― Agora precisarei me retirar e apresentar Cesar para a princesa, deixo Kyoran nas mãos de vocês dois ― disse Arus, olhando rapidamente os dois com um olhar sério. Eles se viraram para Arus e cumprimentaram rapidamente com um. ― Sim senhor! ― em perfeito conjunto. Depois disso Arus partiu caminhando com Cesar do lado.

― Senhor Dante, é uma honra conhecê-lo, espero que possamos nos dar bem, somos seus fãs ― disse Ronirapidamente me cumprimentando como se tivesse cumprimentando Arus assim que ele virou no corredor.

― Por favor cuide bem de nós ― disse Rania, estendendo a cabeça a também.

― Espero mesmo que possamos nos dar bem ― disse com um sorriso sem jeito. Lá estava novamente o rosto corado de Rania, eu tinha que admitir, ela era mais fofa que Hina.

― Vocês já conhecem o lugar? ― perguntei,voltando a ficar sério, era hora de ser cordial, afinal, eu não queria aqueles dois me atrapalhando como os iluminados faziam e como eles estavam sendo gentis, nada melhor do que devolver a gentileza, uma coisa sempre gera a outra.

― Já estivemos aqui uma vez antes, você nos apresentou tudo ―disse Roni.

― Então você perdeu mesmo as memórias, eu não acreditei que isso tivesse mesmo ocorrido ― disse Rania parecendo um pouco preocupada.

― Vocês dois parecem me conhecer também, devo perguntar que tipo de impressão têm de mim?

― Nós éramos como quatro irmãos, você nos salvou muitos anos atrás quando nossa cidade foi atacada por monstros, nós já tínhamos nossas benções só não éramos titãs, não fomos páreos para os monstros, nosso irmão mais velho atraiu a maioria dos monstros para o seu lado enquanto nós ficamos com alguns, foi nessa hora que você chegou e destruiu os monstros, você nos salvou, infelizmente, não conseguiu salvar nosso irmão, quando foi ajudá-lo já era tarde demais― disse Roni, embora não expressasse raiva, eu senti que deveria dizer. ― Sinto muito.

― Você não tem culpa de nada, se estamos vivos hoje é por sua causa― disse Rania, com um meio sorriso. Eu fiquei meio sem graça, não disse nada. Na verdade a ideia deles gostarem tanto de mim podia me favorecer, não pude deixar de me sentir aliviado mais uma vez sabendo que os Iluminados iam e eles ficariam no lugar.

Na saída do castelo eu acompanhei ao lado dos irmãos Roni e Rania os Iluminados partirem. Tomas apareceu seguindo na frente de Arus o que me surpreendeu, ele estava alegre e correu na minha direção abandonando a frente de Arus.

― Oi Kyoran! Fui chamado para treinar no castelo do rei, estou muito feliz, minha benção parece ser de grande importância pra eles ― disse Tomas alegre e continuou. ― Meu irmão ficará aqui mesmo, cuide dele por favor? ― pediu ele. Surpreso com a nova notícia, eu apenas fiz um sim com a cabeça e sorri de volta, passei a mão na cabeça dele e desejei. ― Boa sorte ― Tomas sorriu e voltou a acompanhar Arus que já estava do lado da carruagem. Arus ao me ver olhando pra ele apenas fez um ligeiro aceno com a mão e se virou, eu apenas retribui de volta com um sim mudo balançando a cabeça.

― Espero que no nosso próximo encontro você esteja mais forte, aquela barreira de aura que usei naquela ocasião não era tão poderosa assim ― Disse Carlos parando na minha frente, como não respondi nada ele sorrio, se virou e saiu caminhando na direção de Arus. Eu sentir que Carlos tinha um tipo de ar meio zombeteiro, apenas não dei importância.

― Se cuide Kyoran, quando quiser uma mulher de verdade sabe onde me achar ― disse Kaylla passando em passos lentos e me olhando de lado, chegou a morder levemente os lábios enquanto ativava sua benção, isso porque eu me senti sendo arrastado pelo desejo a ela. Os outros dois mascarados passaram logo em seguida em silêncio, nem se quer se viraram para mim. Roni e Rania ficaram em posição de cumprimento enquanto eles passavam, de cabeças abaixadas. Da janela do seu andar a via Aiya atrás do vidro assistindo a saída deles, por um breve momento ela me olhou e em seguida se afastou sumindo da minha visão. A carroça partiu enquanto vários titãs assistiam impressionados, a força dos iluminados não só era conhecida como também respeitada. Isso me fez se lembrar de Arzachell o quanto ele agora ficaria aliviado sabendo que eles finalmente partiram.


Agradecimentos pela revisão > Igor Ribeiro