O Mundo dos Titãs

130

Autor: Edson Fernandes da Costa

Cesar estava certo, era um grito de guerra em coro que ia aumentando gradualmente, todos nós corremos para as janelas. Os titãs abandonaram as muralhas correndo e foram recuando para dentro enquanto o sino badalava indicando o começo da invasão. Eu fiz o elmo surgir para melhorar minha visão e continuei olhando. Titãs começaram a invadir as muralhas do castelo dos dois lados da esquerda e da direita, eram muitos titãs e todos pareciam ter um tipo de fita presa no pulso, talvez isso servisse para diferenciar no momento da invasão, pude notar diversos titãs capitães e muito provavelmente níveis acima disso. Os grupos abaixo da classe oficial, Ricardo mandou que levassem para o salão de treino do quarto andar, eles não podiam sair de lá, uma batalha de altos números como aquela só poderiam participar titãs que tivessem no mínimo o conhecimento de um oficial.

Os gritos dos outros titãs pelos andares inferiores foram ouvidos, então a batalha explodiu bem na saída da porta do castelo, os titãs saiam e os outros chegavam, o pátio começou a lotar e a batalha sangrenta se iniciou, eu podia ver tantos titãs inimigos como aliados caindo, habilidades e poderes estranhos voavam pelo pátio de um lado a outro.

― Não saia Kyoran ― disse Yago se virando, Elza, Aiya e Cesar se viraram seguindo para a escadaria. Lara ficou na janela assistindo a tudo bem preocupada. Me juntei a ela.

― Não to encontrando meu irmão Kyoran ― disse ela. A batalha seguia a pouco mais que um minuto e já tinham diversos cadáveres pelo pátio, diferente da invasão dos domínios, os titãs inimigos não eram tão burros como os fantasmas do Quinto ou lentos como os esqueletos. Então eu vi os irmãos Roni e Rania surgindo, eles vieram caminhando pela parte norte do castelo, tinham saltado por cima do portão, reconheci os irmãos de armaduras azuladas e brancas por causa do martelo, o mesmo que Roni havia conjurado quando se assustou com o coelho antes de tudo isso mudar, mesmo seguindo outra linha do tempo eles acabaram com os mesmos equipamentos, pelo menos era o que parecia. Rania deveria ser a titã feminina que andava com ele, eu acreditava que fosse ela, tinha nas mãos uma luva de metal, ela mantinha os punhos fechados para manter as lâminas nas pontas preparadas para usar, haviam pequenas lâminas por cima com um pouco mais de cinco centímetros. Vários dos nossos titãs os cercaram fazendo uma roda sobre eles, logo em seguida todos desabaram no chão como se estivessem sendo imprensados por um peso invisível, os únicos que pareciam estarem fora do efeito eram Rania e Roni. Roni continuou parado segurando seu martelo de duas mãos, Rania correu e começou a golpear um a um dos titãs na cabeça sem poupar a vida de nenhum, outros titãs chegavam para ajudar e viravam novos alvos enquanto perdiam as forças e eram sufocados contra o próprio solo, aquilo só podia ser a benção de um dos dois.

― São eles! Eu conheço aquelas habilidades! ― disse Lara nervosa do meu lado olhando pela janela. Eu não pude deixar de me sentir culpado por cada morte que estava acontecendo, parecia que eu tinha acabado de sair de um sonho e mergulhado em um pesadelo em pouco tempo.

Logo Aiya surgiu cercada de trovões atacando vários inimigos simultaneamente, ela foi cercada mesmo derrubando um grande numero de inimigos e o titã de armadura branca com detalhes vermelhos sumia e reaparecia matando um titã e depois já indo a outro em volta de Aiya, aquele deveria ser Cesar, ele usava duas adagas de porte médio e fazia um bom estrago em cada titã que acertava, seja por trás, pela frente, os titãs iam caindo um a um.

Yago surgiu mais ao canto, eu reconheci ele por causa das suas espadas estranhas tomadas por aura que me lembravam “Zorro” e começou a atacar todos os alvos que o cercavam com uma agilidade e movimentos dinâmicos. O peito da Armadura de Yago era de prata e ornamentos azuis, para a proteção das pernas uma calça de malha bem folgada o que ajudava na sua agilidade. Yago era um tipo de titã que lutava apostando na sua alta esquiva e ataques vitais, cada estocada que ele dava após uma esquiva, derrubava titãs facilmente, porque ele mirava exatamente no peito perto do coração. Ao lado dele estava Elza, uma mulher com uma armadura estranha, a armadura dela parecia com um monte de fragmentos ligados de rosa e amarelo como ondas em todo o corpo, iniciava no peito e se espalhava pelo resto do corpo. Como eu podia imaginar, ela não tinha a mesma velocidade e esquiva do príncipe então acabava sendo acertada diversas vezes, mas era estranho, em um momento ela parecia partir ossos de titãs inimigos com seu bastão que não aguentavam três ataques dela e já caiam no chão, então como havia muitos inimigos eles conseguiam acertar ela várias vezes incluindo pontos vitais, os fragmentos da armadura dela se destruía e pedaços ficavam voando pelo ar em volta dela, no instante seguinte, o corpo dela sumia e ela estava mais atrás de onde estaria antes já contra atacando os titãs que a atacaram antes e parecia não ter ferimentos. Os fragmentos da armadura voltavam intactos para os locais completando novamente a armadura dela como se ela nunca tivesse sido atingida. A habilidade dela era bem estranha, era como se ela pudesse saltar no tempo dos momentos antes de seus movimentos.

Os dragões chegaram voando e já atacando os inimigos, estávamos começando a ter vantagem, pelo menos foi o que pensamos, várias estacas de pedra pontudas e gigantes foram ao ar e pareciam vim de cima do castelo, um dragão atrás do outro capotava no meio do pátio, varrendo os locais e levando titãs inimigos e aliados juntos.

― É ele Kyoran! É ele! ― Lara gritou e deu um passo a frente, eu estendi minha mão e ela simplesmente sumiu diante dos meus olhos e reapareceu pelo outro lado da janela já caindo no ar, vi seus cabelos voando para cima enquanto ela me olhava decidida. Não entendi como ela fez aquilo, mesmo assim não fiquei parado, corri descendo as escadas, eu ia me juntar a batalha, não ia deixar todos morrerem daquele jeito por minha culpa e não fazer nada.

Conjurei todo meu armamento e deixei minha aura fluir pelo corpo, era hora de lutar.

Saindo do castelo eu me juntei ao caos da batalha, titãs voavam de um lado a outro, dragões passavam cuspindo ataques elementais, outros caiam, encontrei Eraim tentando morder uma torre onde Lucas parecia ter acabado de desaparecer. Eraim ficou olhando de um lado a outro perdido, havia muitos dragões feridos pelo pátio, muros quebrados, paredes do castelo quebradas e até parte das torres de cima danificadas. Comecei a procurar Lara e fui cercado por vários titãs com níveis de capitães acima.

― É esse aqui ― disse um dos capitães rindo de dentro do elmo. Eles avançaram contra mim, ativei minha benção, girei por entre eles esquivando e atacando, mantendo aura nos pés e nas armas, foi relativamente fácil derrubar cerca de uns sete de uma vez que caíram sem se quer me fazerem suar.

― Aquele é Dante! ― gritou outro apontando o dedo para mim, chamei ainda mais atenção e diversos outros me cercaram novamente, agora o número passava de vinte, tinham feito uma roda. Antes que eles pudessem agir uma imensa lavareda de chamas cobriram eles, eles gritavam enquanto corriam pegando fogo e soltavam suas armas, as armaduras derretiam sem aguentar as intensas chamas, logo os cadáveres se espalhavam pelo chão. Olhei para o céu esperando que fosse algum dragão, acabei sendo surpreendido por Lara que apareceu caminhando com a armadura tomada por chamas.

― O que combinamos sobre não sair? ― perguntou ela parando na minha frente e nesse momento alguns titãs chegaram saltando por trás dela, antes que eu pudesse agir, as língua de fogo da aura de fogo dela se lançaram no ar e chicotearam seus agressores que entraram em chamas. Os golpes não causavam apenas danos de chamas, eles foram golpeados como se tivessem sido chicoteados fisicamente e assim foram lançados para os lados, ela fez tudo isso olhando para mim, mais de quatro titãs de uma vez só, sua aura voltou para o corpo e ela continuou me olhando enquanto sua armadura continuava em chamas. Bem diferente de quando lutamos contra o titã de faixas, aqui sim seu poder pareceu ser forte.

― Agora sim seu poder ta diferente de antes ― disse surpreso.

― Minha benção é o elemento fogo, posso manejá-lo como quiser, as vezes consigo fazer outras coisas também ― disse ela.

― Eu vou ajudar nessa luta, não vou ficar parado enquanto todos arriscam suas vidas ― disse levantando as armas.

― Eu já falei que isso não é culpa sua ― repetiu ela.

― Você não entende o que eu fiz, ele está atrás de mim por culpa minha ― disse. Nesse momento nossa atenção foi tomada por uma imensa estaca de pedra pontuda que foi criada do nada a uns cem metros de nós e em seguida arremessada, só deu tempo de se virar vendo ela surgir e em seguida já estava sendo atirada. Eraim que voava no alto não teve tempo de esquivar, a estaca foi direcionada a ele, tudo que conseguiu fazer foi jogar o corpo para o lado, a estaca ainda o acertou perfurando seu peito. O pátio praticamente parou, inimigos e aliados viram surpresos quando imenso dragão guinchou e girou no ar espedaçando uma parte da estaca que perdeu a força e começou a cair, o local onde a estaca ia caindo os titãs evacuaram, então Eraim perdeu o equilíbrio ferido e caiu para fora da muralha, os dragões que estavam voando ainda em combate pararam, se viraram para Eraim e partiram na direção dele. Eu e Lara vimos Lucas sem nenhuma armadura sorrindo ironicamente para nós de lado, ele sabia que era eu e Lara.

― Lucas! ― gritou Lara se esquecendo de mim e partiu correndo na direção dele. Lucas usava uma camiseta vermelha, calça azul e luvas escuras nas mãos, não imaginei que ele teria tanto poder ainda sem usar o armamento. A luta voltou a explodir, enquanto Lara corria decidida, sua aura chicoteava e atacava os titãs que se lançavam contra ela durante o caminho. Eu não ia deixar ela enfrentar sozinha aquele monstro que eu criei. Então eu também comecei a correr e por ter minha benção da velocidade eu a acompanhei no momento que ela já estava a poucos metros dele. É claro que no caminho tive que esquivar e contra atacar de alguns ataques de titãs que saltaram contra mim até alcança-la. Ela me olhou de lado, carregava nas duas mãos sua espada coberta em chamas o que me fez lembrar a primeira Domínio mais uma vez. Lucas parecia não se preocupar conosco e permanecia calmo nos esperando e mantendo o sorriso frio. Ele achava que por ter derrubado Eraim iria vencer o resto tão facilmente.

Quando eu já preparava minhas espadas para atacá-lo, senti uma pressão imensa dominar todo meu corpo e fui puxado para o chão, acabamos caindo de peito para frente eu e Lara, a três metros dos pés de Lucas.

― Que surpresa irmãzinha, faz muito tempo não? ― perguntou ele sem se mexer, outros titãs aliados se aproximaram e foram jogados para o chão. Por trás dele Roni vinha andando segurando seu martelo e do lado Rania, caminhando normalmente mesmo sobre toda aquela pressão. Eu não ia desistir, juntei toda força que consegui mandando aura para o corpo e me levantei, do lado Lara fez o mesmo, o chão começou a se rachar em nossa volta.

― Surpreendente, vocês dois são bem fortes mesmo, conseguem se levantar mesmo com essa gravidade ― comentou Lucas que não se movia, permanecia de pé com os braços estirados despreocupados. Rania nos ignorou e saiu matando um a um dos outros titãs que entravam no alcance dessa estranha pressão. Pensando com cuidado era uma habilidade de Roni ou Rania. Eu tinha ficado de pé, mas não conseguia levantar as espadas, mas Lara conseguiu. Eu e ela respirávamos sem conseguir nos conter, a pressão era tanta que até os ossos do meu corpo estavam reclamando. Lucas entrou no chão como se virasse areia movediça e quando percebi meu pé e o de Lara estavam sendo tocados por uma mão que saiu do chão. Imediatamente meu corpo ficou ainda mais pesado e eu desabei no chão junto com Lara, todo meu armamento e o de Lara sumiram na mesma hora nos deixando totalmente desprotegidos. Então a pressão acabou antes que eu pudesse morrer com a falta de ar que me bateu.

― Ótimo trabalho irmãos, levem os dois para o ponto, vamos recuar ― eu ouvi a voz de Lucas mas não o vi em lugar algum. Rania me pegou e me jogou em seu ombro, depois pegou Lara e jogou no outro. Os titãs continuavam avançando tentando nos salvar e era barrados pelos titãs deles. Eu não imaginei que íamos ter tanta dificuldade em enfrentar Lucas.

Revisão > Igor Ribeiro